Ê Saudade...

|



Dormir com janelas abertas, conversar com parentes e vizinhos na porta de casa, caminhar tranquilamente pelas ruas da cidade, tais fatos fazem parte de um cenário até bem pouco tempo comum nos pequenos municípios do Brasil. A princípio a insegurança assolava as pessoas apenas nas grandes cidades. Hoje a realidade é diferente. A violência atinge todo o país, inclusive cidades pequenas.
Recentemente, a população de cidades pequenas vem demonstrando preocupação com a escalada da violência. Nesse ínterim, muitos se perguntam sobre as causas que tem contribuído para elevar o número de assaltos, roubos a estabelecimentos e homicídios em tais cidades.
A violência talvez seja hoje o maior problema do Brasil. Apesar de estar sendo chamado de país em desenvolvimento, temos uma enorme desigualdade social, um dos pilares que sustenta a violência. Nos últimos anos, o governo deu atenção especial à economia, já que a população vivia a mercê da inflação, e deixou de lado a questão da segurança.
Em Ipiaú, por exemplo, a violência vem assustando a população. Inúmeras pessoas são assaltadas na cidade, assassinatos ocorridos em praça pública e até mesmo o delegado sucumbiu à violência. Todos esses crimes estão vinculados, sem dúvida, ao aumento do tráfico de drogas e ao crime organizado. Nesse contexto, a população se questiona: o que será de nós se até mesmo uma autoridade policial é vítima de barbárie? A resposta para este questionamento não é das mais animadoras.
Muitos preferem culpar a polícia pelo aumento da criminalidade, porém é preciso observar que esta não possui pessoal suficiente para fazer o patrulhamento das ruas, faltam equipamentos, treinamento mais específico para coibir a violência e não há apoio logístico adequado. Se existem culpados pela escalada da violência, a culpa reside na péssima estrutura do sistema e na falta de uma gestão comprometida com segurança pública.
É evidente que uma administração local não pode resolver sozinha todos os problemas referentes à violência, mas ela pode buscar ajuda junto ao governo estadual e federal, o que inclui, como medida a curto prazo, o aumento do efetivo policial da cidade.
Ademais, é preciso investir em cultura, educação, saneamento básico, saúde, entretenimento, esporte, lazer e na viabilização da oferta de emprego à comunidade. É impossível diminuir a criminalidade sem que haja a punição de criminosos e sem oferecer expectativa de vida à população. Vale salientar, no entanto, que não se trata de ações simplistas, uma vez que o problema é complexo e exige planejamento preciso.
As autoridades precisam lembrar que desenvolvimento econômico aliado à falta de planejamento traz efeitos negativos. Ipiaú é uma cidade que vem se desenvolvendo economicamente, sobretudo pela instalação de empresas que prestam serviços à Mirabela. Sem um planejamento para conter a violência, a cidade se torna um ambiente propício para a proliferação da criminalidade.
O fato é que a população não só de Ipiaú, mas de muitas outras cidades de pequeno/médio porte não suporta mais tantos crimes e entrevistas de autoridades prometendo resolver o problema da segurança pública. É preciso sair do discurso vazio e partir para a implementação de ações. No atual cenário de violência, a vida pacata de alguns anos das pequenas cidades tem deixado saudades.


Samy Santos
Professor de Literatura, Gramática e Redação.
Graduado em Letras pela
Universidade do Estado da Bahia - UNEB.
Colunista Semanal do Noticias de Ipiaú
Email:samysjs@noticiasdeipiau.com


0 Comentário:

 

©2009 NOTÍCIAS DE IPIAÚ | Template Blue by TNB