Confira as dez principais notícias do dia 4 de setembro

|

1. Cursos superiores têm avaliação ruim
Saiu o resultado de 2008 do Exame Nacional de Desempenho do Estudante, o Enade, que avalia os cursos superiores do país. As notícias não são boas. O portal G1 destaca que apenas 47 dos mais de 7 mil cursos avaliados receberam a nota máxima (as notas vão de 1 a 5) nos três principais quesitos avaliados – a nota dos alunos, o IDD, índice que mostra o quanto a escola agregou ao aluno, e o CPC, que reúne a nota do Enade, o IDD, a titulação dos professores e a infraestrutura dos cursos. Se for considerado apenas o CPC, índice no qual o MEC se baseia para supervisionar as escolas, a situação é mais dramática. Um terço de todos os cursos recebeu notas baixas (1 ou 2). O Estadão destacou em sua manchete os cursos de Pedagogia. Um em cada quatro professores do país se forma em cursos de má qualidade. 71 mil alunos em 292 cursos de Pedagogia receberam nota ruim. Só 9 dos 763 cursos avaliados tiraram 5. Já a Folha (para assinantes) mostra a mesma proporção (de 1 a cada 4) para os engenheiros. Dos 24, 9 mil formandos desse curso, 6,3 mil estudam em cursos com as notas mais baixas. Ontem, o MEC proibiu o vestibular target=”_blank” e o aumento do número de vagas nos cursos mal avaliados.

Política
2. Saúde pede nova CPMF, mas não investe
A manchete de O Globo mostra que, apesar do apelo do Ministro da Saúde, José Gomes Temporão, para a volta da CPMF – agora o tributo se chama CSS e está na fila para ser votado pelo Congresso –, a pasta investiu apenas 4,29% dos R$ 3,7 bilhões autorizados para este ano. O presidente Luiz Inácio Lula da Silva apoia a criação da CSS, mas ontem, em reunião com o conselho político, deixou claro que, em ano eleitoral, não está disposto a brigar por um tema espinhoso. Lula sugeriu que governadores e prefeitos façam pressão para que o novo imposto do cheque seja aprovado.

3. Transação comprovada
O Estadão obteve documentos que, de acordo com o jornal, comprovam que a empreiteira Aracati comprou à vista pelo menos um dos apartamentos usados pela família do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), em São Paulo. Em reportagem do dia 16 de agosto, o jornal havia revelado que dois dos três apartamentos usados pelos filhos e netos de Sarney em um bairro nobre da capital paulista estão registrados em nome da empreiteira. Na ocasião, José Sarney Filho admitiu ser o dono de fato de um dos imóveis. O documento revelado agora mostra que a Aracati, que atua no setor elétrico e cujo dono é amigo da família Sarney, pagou R$ 270 mil pelo apartamento. A empresa diz que vendeu o apartamento para Zequinha em parcelas, que estão sendo pagas até hoje. Apesar de o apartamento não estar em seu nome, diz o jornal, Zequinha o declarou no imposto de renda deste ano.

4. Encontro com a fé
A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, afirmou ontem que acredita estar curada do câncer. Provável candidata do governo para a sucessão presidencial em 2010, Dilma descobriu em março um linfoma em estágio inicial e fez tratamento com radioterapia e quimioterapia, diz a Folha (para assinantes). Em Brasília, em um movimento de aproximação com os evangélicos, a ministra recebeu diversas igrejas e participou, junto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, da cerimônia que lançou o Dia da Marcha para Jesus. Capitaneados pelo apóstolo Estevam Hernandes, da Igreja Renascer em Cristo, o grupo de evangélicos fez uma oração pela saúde de Dilma. Hernandes e sua mulher, a bispa Sônia, cumpriram pena de dez meses na prisão em Miami, nos Estados Unidos, por entrar no país com US$ 56 mil não declarados dentro de uma bíblia, em janeiro de 2007. Segundo o Estadão, os evangélicos representam 15% do eleitorado brasileiro, de acordo com estimativas da igreja.

Economia
5. Governo quer mais da Petrobras

O governo quer ser dono de pelo menos 50% das ações da Petrobras. A manchete da Folha (para assinantes) afirma que, de olho nos dividendos financeiros e políticos, a União – que hoje controla a empresa, mas tem 32% dos papéis – tem como objetivo ter a maioria das ações. A expectativa, segundo o jornal, é que os sócios minoritários não acompanhem o aporte de capital que o governo planeja fazer na estatal (o aporte foi anunciado nesta semana, junto com as novas regras de exploração de petróleo na chamada camada do pré-sal). Segundo o ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, o aumento da participação na Petrobras é um desejo e uma meta do governo pelo “simbolismo” da empresa e para que o Tesouro tenha direito a uma parcela maior dos lucros do pré-sal. “O governo não está desestimulando a participação dos minoritários no processo de capitalização. Mas também não tem razões para estimular neste momento”, afirmou o ministro.

6. Pré-sal vai exigir investimento da indústria

Não serão apenas os sócios minoritários da Petrobras que terão de colocar a mão no bolso para acompanhar o governo na exploração do pré-sal. A indústria de máquinas e equipamentos terá de investir de US$ 30 bilhões a US$ 40 bilhões nos próximos quatro anos para acompanhar o desenvolvimento da exploração do petróleo, que consumirá US$ 120 bilhões neste período. A avaliação é do presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, que se reuniu com o empresariado do setor. “O recado foi que a indústria terá de se preparar para uma nova onda de investimentos”, afirmou Luiz Aubert Neto, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abmaq). As informações são do Estadão.

Saúde
7. Vacina da Aids mais perto

A busca por uma vacina contra a Aids avançou significativamente com os resultados de uma pesquisa em pacientes africanos divulgada ontem. Um grupo de cientistas internacionais conseguiu isolar dois anticorpos – ambos do mesmo doador – que neutralizam um amplo espectro de variedade do vírus causador da doença. O HIV, que é altamente mutante, se caracteriza por driblar os anticorpos humanos, que defendem o organismo contra ataques de vírus, bactérias e outros invasores. Por isso, chegar a uma vacina é tão difícil. Os anticorpos descobertos pelos cientistas foram testados em 162 linhagens de HIV e reagiram em 120 delas. Um número alto e inédito, de acordo com a Folha.

Justiça
8. Depósitos suspeitos

Um rastreamento feito pela Justiça norte-americana revelou que US$ 242 milhões depositados em 2002 em uma conta bancária em Nova York são pagamentos feitos pelo Opportunity Fund, nas ilhas Cayman, relativos ao resgate de cotas de empresas controladas pelo próprio banqueiro Daniel Dantas. A transação levanta duas dúvidas, segundo a Folha (para assinantes). Primeiro, sobre o verdadeiro valor do patrimônio de Dantas, que declarou à Receita Federal bens no total de R$ 302 milhões em 2005. Só os US$ 242 milhões, que permaneceram na conta até fevereiro deste ano, equivalem a mais de R$ 450 milhões. A outra é sobre a situação legal das cotas atribuídas a Dantas pela investigação nos EUA. De acordo com a Comissão de Valores Mobiliários, a CVM, era vedada a participação de cotistas residentes no Brasil em fundos constituídos no exterior – Dantas mora no Rio de Janeiro. O Opportunity Fund, em consórcio, comprou estatais de telefonia em 1998.

Mundo
9. EUA e Brasil pressionam Honduras

O presidente deposto de Honduras, Manuel Zelaya, se encontrou ontem com a secretária de Estado dos Estados Unidos, Hillary Clinton. Como resultado, o governo norte-americano formalizou o corte de US$ 35 milhões em assistência a Honduras e sinalizou posição contrária às eleições presidenciais convocadas pelo governo de facto para novembro. Segundo o Estadão, no entanto, os EUA mantiveram sua posição ambígua em relação a Zelaya e não declararam de forma taxativa que sua volta ao poder seja essencial para que a eleição hondurenha seja considerada legítima. Também não classificaram a destituição de Zelaya, em 28 de junho, como um golpe militar, outro pedido do hondurenho à Hillary. No Brasil, o governo anunciou que a partir hoje, todos os hondurenhos precisarão de visto para entrar no país. Em uma tentativa de pressionar o governo de facto de Honduras, o governo brasileiro quebrou acordos que previam a isenção de vistos a hondurenhos que fiquem no Brasil por menos de 90 dias, informa a Folha (para assinantes).

10. Jackson é enterrado

O astro pop Michael Jackson, morto em 25 de junho, foi sepultado na noite de quinta-feira em Los Angeles. A cerimônia foi privada e reuniu cerca de 200 pessoas, entre parentes e amigos. De acordo com comunicado oficial da família de Jackson, o enterro aconteceu às 21h43 (horário local) e o corpo do astro, que estava embalsamado, foi levado ao túmulo pelos irmãos Jackie, Tito, Jermaine, Marlon e Randy. A cripta que recebeu o caixão de Jackson, banhado a ouro e prata, é vigiada por câmeras 24 horas. Durante a cerimônia, a polícia isolou a região do cemitério Forest Lawn. O espaço aéreo também foi fechado, informa o G1.

0 Comentário:

 

©2009 NOTÍCIAS DE IPIAÚ | Template Blue by TNB